útil

Lixeiras francesas foram analisadas

Lixeiras francesas foram analisadas


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Ainda jogamos demais, mas nos classificamos melhor! A Agência de Recuperação e Gerenciamento de Energia (ADEME) apresentou na terça-feira, 23 de junho, os resultados da segunda campanha sobre composição de resíduos franceses, campanha realizada em 100 municípios sorteados entre dezembro de 2007 e maio até julho de 2008.

A reciclagem tornou-se um hábito para os franceses

Comparado a 1993, data da primeira campanha realizada pela ADEME, metade do papelão, papel e vidro está presente nas lixeiras. A composição do lixo permanece essencialmente a mesma, com exceção de um aumento acentuado de tecidos sanitários (lenços, fraldas, etc.).

Depósitos diretos em centros de reciclagem por indivíduos aumentaram

Os resíduos tóxicos, por outro lado, estão diminuindo graças ao desenvolvimento de coleções seletivas desse tipo de lixo e aos esforços das empresas para remover produtos perigosos de sua produção. A reciclagem continua a progredir: Das 37,77 milhões de toneladas de resíduos coletadas em 2007, 33,5% poderiam ter sido direcionadas à reciclagem, mas, se essas descobertas forem positivas, e se nos aproximarmos aqui, do ponto de vista da reciclagem, os objetivos do Fórum do Meio Ambiente de Grenelle (visando 35% em 2012 e 45% em 2015); os esforços a serem feitos e os progressos a serem feitos permanecem numerosos. O volume de resíduos produzidos pelos franceses, praticamente inalterado desde 1993, permanece muito grande, com 391 quilos por pessoa por ano em 2007. Segundo a ADEME, desses 391 quilos, cerca de 150 poderiam ser removidos do lixo doméstico promovendo a compostagem, evitando o desperdício de alimentos (7 quilos de produtos ainda embalados são jogados fora por pessoa por ano), limitando o uso de impressoras ou realizando campanhas de publicidade proibida. Um compromisso mais forte dos franceses e um melhor respeito pelas instruções de classificação lhe parecem necessários. > Mais informações em //www2.ademe.fr